A Blockchain no Agronegócio

//A Blockchain no Agronegócio

A Blockchain no Agronegócio

9
fev

O que é a Blockchain?

(Aqui vai uma explicação, eu escrevo A blockchain ao invés de O blockchain, pois traduzindo para o Português blockchain significa cadeia de blocos, então achei mais certo chamar de A cadeia de blocos, ou A blockchain).
Uma maneira de pensar a blockchain, é como uma tecnologia que permite aos usuários transferir valor, ou recursos, entre si, sem a necessidade de um intermediário confiável (bancos, cartórios, governos, auditorias, sistemas privados, etc.). A troca é registrada em um livro razão digital que é compartilhado por todos os usuários da blockchain. Os usuários confiam neste livro razão compartilhado ou “distribuído” para fornecer uma visão transparente dos detalhes dos ativos, incluindo quem possui o recurso, bem como informações descritivas, como, qualidade ou localização. O histórico de execução da transação é chamado de cadeia de blocos, e cada transação é chamada de bloco.
Existem múltiplas formas desta tecnologia de “livro razão” distribuído, cada uma adequada a casos de uso distintos. Além do registro das informações, existe o conceito, chamado de “contratos inteligentes” ou “smart contracts”, que permite aos usuários codificar partes significativas de um processo, acordo ou tarefa de fluxo de trabalho. Assim, quando ocorre uma transação, o software executa automaticamente uma ação ou conjunto de ações, de acordo com as especificações do “contrato inteligente”, que nada mais é do que um programa codificado para ser executado na blockchain. Um exemplo é o bloqueio inteligente, ou semáforos; semáforos ou bloqueios que abrem automaticamente após receber a taxa correta, dessa forma, você pode bilhetar as ações que ocorrerem na blockchain, por exemplo.
Recentemente, alguns outros casos de uso potencial para cadeia de blocos surgiram, como o rastreamento de mercadorias em todas as cadeias de suprimentos (por exemplo, cadeia de códigos de produtos SKU´s) e “fazendas inteligentes” habilitadas com sensores IoT (por exemplo). Embora ainda não tenhamos visto a adoção comercial em larga escala da blockchain, investidores como a Fundação Bill e Melinda Gates e vários capitalistas de risco, estão prestando atenção nesta tecnologia.

E quanto ao agronegócio?

Embora a tecnologia da blockchain no agronegócio esteja ganhando popularidade – houve muito desenvolvimento de aplicativos de cadeias de blocos. A Blockchain possui um enorme potencial em sete áreas-chave do agronegócio:

  • Altos níveis de transparência nas transações.
  • Pagamentos móveis, créditos e taxas de transação diminuídas.
  • Transações financeiras e da cadeia de suprimentos completa, realizadas em tempo real.
  • Execução de contratos de compra e venda de commodities.
  • Desenvolvimento de “contratos inteligentes”, que são trechos de códigos, que são executados automaticamente pela blockchain assim que algum evento ocorra.
  • Bloqueios inteligentes que podem realizar a taxação de ações realizadas na blockchain.
  • Novas fontes de financiamento com taxas extremamente menores que as atuais.

A demanda do consumidor por segurança alimentar, inclusive orgânicos, está subindo rapidamente, mas os produtores e os fabricantes muitas vezes estão lutando para garantir a veracidade e precisão dos dados desde à fazenda até à mesa. A blockchain pode ajudar.
Atualmente, não existe uma maneira fácil, precisa e eficiente para que os fabricantes conheçam questões como trabalho escravo e poluição, ou para identificar a origem exata de uma mercadoria. No entanto, os consumidores, especialmente em mercados de nicho como os alimentos orgânicos, estão cada vez mais dispostos a pagar pelos produtos que fornecem, de fato, essa informação. Até o momento, as soluções têm girado em torno de certificações e regulamentos, que agregam custos, são difíceis de impor e podem confundir os consumidores, além de serem facilmente fraudadas. Você sabe exatamente o que os produtores querem dizer, quando informam em seus rótulos que produzem alimentos sem o uso de mão-de-obra infantil, ou provenientes de animais que são tratados sem sofrimento?
Algumas empresas estão usando blockchains para resolver este problema para agroindústrias e consumidores. Então, o valor da blockchain está na sua capacidade de tornar a cadeia de suprimentos inteiramente transparente e rica em dados de procedência garantida, desde a fazenda até o “livro razão” da blockchain. Em outras palavras, a blockchain rastreia informações sobre seus alimentos e os participantes ao longo da cadeia de suprimentos não podem manipular essas informações. Em última análise, esta tecnologia permite aos agricultores, fabricantes e revendedores, justificar valores mais altos para determinados produtos e dá confiança aos consumidores sobre a origem do seu alimento e sobre a forma como foi produzido.
Ainda falando em ações concretas, recentemente eu estive na IBM e pude conhecer o projeto muito interessante de uma blockchain exclusiva para transações do agronegócio.

Um sistema financeiro mais justo e acessível.

Blockchains também tem um enorme potencial para criar e melhorar o acesso ao financiamento no mundo em desenvolvimento. A agricultura emprega mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo, muitos dos quais são pequenos agricultores nos países em desenvolvimento. Para muitos desses agricultores, o acesso ao capital continua sendo um grande desafio.
À medida que os telefones celulares se tornaram onipresentes, o banco móvel criou novas oportunidades de financiamento, como o microfinanciamento. No entanto, devido à falta de transparência e, portanto, de alto risco, o paradigma atual é toneladas de pequenas transações com taxas extremamente elevadas (vide os juros estratosféricos praticado pelos bancos brasileiros).
A tecnologia da Blockchain pode – e já está – resolvendo esse problema para financiadores e agricultores. Exemplos incluem as empresas Agriledger, BitPesa e Rebit.

Cadeias de abastecimento eficientes e confiáveis em economias desenvolvidas.

O mundo desenvolvido também se beneficiará da blockchain, porém de outra forma. Todos os anos, trilhões de dólares circulam entre agricultores e compradores sozinhos, no entanto, atualmente, essas transações são extremamente ineficientes. A Blockchain pode melhorar o processo de liquidação para agricultores, compradores e financiadores, como fazem hoje os bancos. Já pensou, tirar os bancos desse lucrativo mercado?
Este é um dos motivos que você vê tantos artigos escritos por agentes financeiros, que demonizam a Blockchain e as cryptomoedas. Abra o seu olho!
No momento, a entrega da mercadoria física se descola da execução do pagamento. Em outras palavras, os agricultores costumam entregar a colheita, e devem esperar semanas ou meses para serem pagos, dependendo do seu contrato. Os agricultores não têm a capacidade de realizar a devida diligência em seu comprador, para que os compradores possam competir em condições de pagamento e, portanto, oferecer preços mais baixos. Isso diminui a concorrência no mercado e reduz os preços, já que os produtores se dirigem a multinacionais maiores e aos operadores históricos, que têm menos risco de inadimplência. As operações mão conseguem conectar o efetivo pagamento com o agricultor que produziu.
Finalmente, as opções de financiamento são caras e limitadas porque a indústria é considerada como arriscada – e por uma boa razão, pois existem muitos fatores que impõem estes riscos, tais como; clima, documentação desatualizada, falta de fiscalização, ausência de históricos de créditos dos produtores atualizados, ausência de sistemas de gestão nas propriedades agrícolas e baixa maturidade administrativa dos produtores rurais.
A blockchain pode mudar tudo isso, permitindo o pagamento em tempo real na entrega. Como resultado, os agricultores são pagos imediatamente, a concorrência da indústria aumenta e mantém os preços mais altos, e os compradores economizam tempo e dinheiro. Além disso, adicionar transparência, confiança e eficiência aos negócios, diminui o risco e desbloqueia novos e mais baratos mecanismos de financiamento para os bancos.

O futuro da agricultura é a blockchain.

Alguns afirmam que dentro de alguns anos a Blockchain não será mais uma palavra estranha; será tão onipresente como a internet. Outros acreditam que a blockchain é uma moda tecnológica; que ainda não foi totalmente testada, apresentando grandes riscos e poucas vantagens.
Os agricultores sempre foram adeptos ansiosos de tecnologias que fazem sentido e proporcionam valor real. É claro que a cadeia de blocos tem um grande potencial para resolver problemas significativos na agricultura. O desafio para a blockchain, e as inovações aplicadas ao agronegócio em geral, é conectar a tecnologia a modelos de negócios viáveis e casos convincentes de uso. Todas as empresas citadas acima, e muitas outras espalhadas pelo mundo, estão trabalhando duro para fazer isso acontecer.
Resumindo o nosso papo; para ser adotada em larga escala, a blockchain precisa gerar economia de tempo, aumento de transparência e dinheiro, além de levar o agronegócio para a frente, criando novos bolsões de riqueza. Se pudermos ultrapassar o modismo e simplesmente fazermos melhores negócios, o futuro do agronegócio será, de fato, a blockchain.
Um abraço e sucesso.
Linkedin: Sidney R Junior
Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/blockchain-agroneg%C3%B3cio-parte-1-sidney-r-junior/?lipi=urn%3Ali%3Apage%3Ad_flagship3_profile_view_base_recent_activity_details_all%3BgS5HzCxUQ8yZIERiYq7x1Q%3D%3D

Assine Nossa News letter

Assine nossa News letter e receba alertar de todos s nossos novos conteúdos sobre agronegócio, tecnologia e sustentabilidade.

[contact-form-7 404 "Not Found"]